Início
Bem vindo Convidado · Registar
Utilizadores
Utilizador:

Palavra-Passe:

Entrar automaticamente na próxima visita?


» Esqueci a Palavra-Passe
» Registar


Quem está ligado
Utilizadores Activos: 17
Existe(m) 0 utilizador(es) registado(s) (0 invisíveis) e 17 convidado(s) ligados.

Estatística
Temos um total de 488 artigos em 22 tópicos,
496 imagens em 22 categorias,
2 ficheiros em 3 categorias,
1 links em 1 categorias,
Os nossos membros efectuaram um total de 0 colocações no fórum.
Temos 131 membros registados.
O membro mais recente é MarisaBelo
Número máximo de utilizadores foi de 588 a 24.07.2019 23:14
Total de Visitantes: 2155646
Visitantes hoje: 605
[Mais Estatísticas]

Imagem Aleatória
267

267

Renato Sousa


CPM 8241
Bem vindo ao site CPM 8241
12·Julho·2020 @ 12:57

"Um dia no Sabizanga" - Luanda, 1973

Contributo de: josé eduardo marques Offline
Tópico: Novidades
Enviar a um amigo  Formato de Impressão
Vistas: 1872
"Um dia no Sabizanga" - Luanda, 1973

Venho do Sabizanga, de lá ter passado o dia.
Vi bocas à procura de pão, vi mãe brigar com filha.
Venho do Sabizanga, mais revoltado com a guerra
Que me atormenta.
Esta arma que transporto, poderá matar corpos d’outros.
Mas é comigo que rebenta.
Tenho a imagem da angústia
Das crianças pobres e doentes,
Que sem roupa e sem sorrisos
Soluçam vida entredentes.
Venho do Sabizanga, cabisbaixo, pensativo,
Enojado com a repressão;
Cansado de pertencer a um bando inocentemente opressivo.
Das palhotas amontoadas, onde se amontoam seres vivos.
São carreiros de cabras, as avenidas dos nativos.
É mandioca com mandioca,
A mandioca daquela gente.
Os sonhos repetidos em cada noite,
São questões prostradas sem resposta.
Cada vaga de chuva tropical
É um obrigar a construir nova palhota.
A dor já não é dor.
Pois só há dor se houver prazer.
O sofrer é uma constante,
O prazer é um pouco menos de sofrer.
O dormir dos olhos vivos daquela gente morta,
É um esperar contínuo
Duma baioneta na porta que não é porta.
À criança do Sabizanga,
Meu olhar suplicou compreensão,
Seus olhos percorreram meu corpo
E disseram: não é com menino soldado
Que menino negro se zanga.


Comentários: (1)

Aniversário

Contributo de: josé eduardo marques Offline
Tópico: Novidades
Enviar a um amigo  Formato de Impressão
Vistas: 957
Caro "comandante" Renato de Sousa,

É com muito prazer que te transmito, estou certo, o sentimento de todo o IV Pelotão da CPM 8241 no prazer em desejar-te um aniversário muito feliz, junto dos teus (se pudéssemos saír, certamente que teríamos um grande jantar (concordas Isidoro?)).

Um forte abraço de todos nós,

josé eduardo marques


Comentários: (1)

Aniversário

Contributo de: josé eduardo marques Offline
Tópico: Novidades
Enviar a um amigo  Formato de Impressão
Vistas: 1111
Caro Comandante Coronel Moreira Dias,

É com muito prazer que lhe transmito, estou certo, o sentimento de toda a Companhia no prazer em desejar-lhe um aniversário muito feliz, junto dos seus.

O facto de não ter havido baixas, em terreno de guerra, na CPM 8241/72 deve-se muito ao caminho traçado pelo Comandante e respeitado por todos nós.

Um forte abraço de todos nós,

josé eduardo marques


Colocar comentário

Aniversário

Contributo de: josé eduardo marques Offline
Tópico: Novidades
Enviar a um amigo  Formato de Impressão
Vistas: 1013
Camaradas

Manuel Ferreira e António Correia

Com dias de atraso, pelos quais a CPM 8241/72 pede as vossas desculpas, enviamos os nossos parabéns. Esperamos que tenham passado um bom dia de aniversário junto dos vossos.

Abraço..
josé marques


Colocar comentário

26 de Abril de 1974

Contributo de: josé eduardo marques Offline
Tópico: Novidades
Enviar a um amigo  Formato de Impressão
Vistas: 811
17 de julho de 1972

Recebi minha farda
Das mãos dum infeliz como eu,
De olhos humedecidos
Sacudi palavras em vão,
Inspirei o ar do quartel prisão.
Senti-me só,
Isolado do que construíra,
Com o sentimento azedo
De que o universo ruíra,
Embora e apesar disso
Estivesse longe de mim o medo.


29 de dezembro de 1972

Vesti minha farda pela manhã.
Não me permitira exteriorizar tristeza.
Iria saír definitivamente de casa
Iria deixar de comer àquela mesa.
O avião partiu.
Então, mais só que nunca,
Fiz as minhas mãos sentir meu corpo
Para efetivamente ficar convencido
Que na guerra,
Se morre sem se ter morrido.


26 de abril de 1974

Vesti o camuflado,
Misto de ternura e agressão,
(era tipo de farda sem classificação).
Compreendi finalmente
Que tudo mudara para o meu país,
E sabendo que o trabalho seria árduo
Mesmo assim fiquei feliz.


7 de dezembro de 1974

Despi do meu corpo a farda,
Despi do meu corpo Luanda,
Do avião mansarda
Disse-lhe – até um dia.
Repeniquei-lhe um beijo
Com a certeza de amar a baía
Quase tanto
Como amo o Tejo.

josé marques


Comentários: (1)

98 páginas no total     « Primeira página Página Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próxima Página Última página »

Guião da Companhia
Padrão da Companhia de Polícia Militar CPM 8241

O que há de novo
Artigos
Não há artigos novos.

Comentários nas últimas 48 horas
Não há novos comentários.

Weblinks nas últimas 2 semanas
Não há links recentes.

Galeria nas últimas 2 semanas
Não há imagens novas

Ficheiros nas últimas 2 semanas
Não há ficheiros novos.


Aniversários
Hoje, nenhum membro está a celebrar o aniversário

Eventos
Calendário de Eventos agendados nos próximos 2 dias
Não existem eventos agendados

 DSTQQSS
»


1 2 3 4
» 5 6 7 8 9 10 11
» 12 13 14 15 16 17 18
» 19 20 21 22 23 24 25
» 26 27 28 29 30 31


RSS Feed: CPM 8241 (Artigos)

Inserir Artigos | Fórum | Galeria | Calendário | Links | Ficheiros | Membros | Procurar | Livro de Visitas | Article Directory

Powered by SePortal 2.5
Copyright © 2007-2020 SePortal.org